27/08/16

Formação ENTRAJUDA

Programa de Formação em Gestão de IPSS 2016
5ª Edição do Programa de Formação em Gestão de IPSS  

O Programa de Formação em Gestão de IPSS contará em 2016 com a sua 5ª Edição, tendo como objectivos apoiar os responsáveis pela gestão a:
  • Fortalecer as competências de gestão estratégica, gestão de pessoas, gestão financeira, gestão comunicacional e organizacional, gestão comportamental, gestão de sistemas de informação;
  • Compreender os factores de mudança da economia e da sociedade e ganhar competências para fazer a sua gestão;
  • Conhecer as implicações, obrigações e benefícios do enquadramento jurídico da actividade das Instituições de Solidariedade Social;
  • Implementar boas práticas de gestão, designadamente ao nível do planeamento e controlo de gestão, gestão de pessoas, gestão financeira e gestão dos processos chaves da organização, através de ferramentas e instrumentos adequados;
  • Criar condições para a gestão de processos de obtenção de certificação de qualidade. 

Consulte o folheto de divulgação »»aqui«.

O programa terá uma duração de 141 horas de formação em sala, à qual acresce o trabalho individual a realizar pelos formandos.

A 5º Edição decorrerá de 3 de Outubro de 2016 a 4 de Abril de 2017, contando, em regra, com um dia de formação por semana, num total de 7 módulos, 2 seminários e 1 workshop.

As candidaturas devem ser formuladas por via electrónica, em ficha própria, disponível »»aqui« e submetidas até dia 7 de Setembro 2016.

Os candidatos seleccionados serão submetidos a uma entrevista em data a comunicar pela ENTRAJUDA.

Ler mais aqui.

Editorial: voluntários, em fila para ajudar

Itália



Ler mais aqui.
Em solidariedade, Jubileu do Voluntariado tem programa alterado (ler aqui).

«JÁ T'EXPLICO»: QUANDO AS EXPLICAÇÕES TÊM UM LADO SOCIAL


http://www.jatexplico.pt/



Um grupo de estudantes decidiu criar o grupo de voluntariado «Já T'Explico», que vai funcionar com o objetivo de dar explicações gratuitas a estudantes com dificuldades financeiras e pouco apoio familiar. 

Durante a experiência de Erasmus, em Riga, Mariana Bernardo e Beatriz Dias contactaram com jovens que faziam voluntariado. Quando regressaram, sabiam que era o seu próximo passo. «Sabíamos que tínhamos de nos envolver mais em atividades de voluntariado», conta Mariana ao Canal Superior. 


Ao invés de integrarem um grupo já existente, as estudantes decidiram criar o seu próprio projeto. «Já T'Explico» foi o nome que colocaram à plataforma de explicações que pretendem criar para jovens com dificuldades financeiras, entre o 5º e o 9º ano. 

«Para nós, backgrounds familiares e financeiros difíceis não devem impedir ninguém de seguir os seus sonhos (quer académicos, quer profissionais)», sublinha Mariana Bernardo. 

Para concretizarem os seus planos, já juntaram uma equipa de 23 associados, mas têm candidaturas abertas para os estudantes do Porto interessados em dar explicações gratuitas a jovens com pouco apoio familiar. Em três dias, o balanço é positivo. «Temos tido muita adesão», dizem. 

As explicações e os clubes que vão ser formados para os jovens carenciados vão decorrer num espaço do Porto, ainda por definir. E a interação entre os voluntários e o beneficiário dependerá da disponibilidade de ambos. 

«Um país melhor é aquele que tem a população mais feliz e, essa mesma felicidade resulta, na maior parte das vezes, da plenitude académica e profissional», conclui Mariana Bernardo. 

Daqui.

Voluntariado aprimora o currículo

Ler mais aqui.

Missão Ondjoyetu: Estes 10 anos fizeram a diferença!


Foi no passado dia 12, sexta-feira, que regressou a Portugal o grupo dos sete que tinham ido em visita ao Gungo. Para alguns foi a novidade do desconhecido, oportunidade de finalmente ver, sentir e viver aquilo que já tantas vezes tinham ouvido contar. Para outros foi regressar ao sítio de onde nunca tinham partido.
Estes 12 dias de Missão foram passados grande parte do tempo na sede da Missão, Donga, onde foi possível acompanhar e dar formação aos líderes da Pastoral da Criança, parteiras, promotores de saúde, jovens, grupo de catequistas e da liturgia. Sendo grande parte do grupo da área da saúde, podemos dar alguma assistência em consultas e tratamento de feridas. Connosco também subiu o camião e pudemos reforçar a cantina e levar alguns bens para pessoas particulares.
Tivemos ainda a oportunidade de estar dois dias numa aldeia do Gungo, no Calipe, onde nos encontrámos com a comunidade local e com as milhões de crianças que lá vivem, sempre com o seu sorriso e curiosidade encantaram os corações das nossas visitas.
E falo agora em nome pessoal: foi muito, muito bom voltar a estar no Gungo. Ver como os projetos continuaram a evoluir, rever pessoas que assumiram papéis mais importantes na Missão e perceber como as sementes que tantos e tantos voluntários deixaram deram frutos e o Gungo está a crescer. Chegamos à Donga de noite e ao longe vimos a luz que ilumina aquele lugar, a luz não vem só dos painéis solares que permitem iluminação dos espaços públicos, vem do coração de tanta gente boa que está a aproveitar a presença missionária, vem do amor que tantos missionários depositaram no seu trabalho, vem da oração dos que nunca tendo pisado esta terra também contribuem para a Missão e da certeza que este é um projeto de Deus.
E como disse o Tio Calei na mensagem de despedida: "Já não é pelas vossas palavras que acreditamos; nós próprios vimos e ouvimos e sabemos que Ele é verdadeiramente o Salvador do mundo".
Twapandula chiwa a todos os que tornam possível esta Missão.
Estamos Juntos!
Mana Inegi (colaboração) | Presente Leiria-Fátima

Daqui.

11/08/16

Cáritas Diocesana apela a voluntários para “regresso às aulas”


A Cáritas Diocesana de Leiria-Fátima vai associar-se, pelo terceiro ano consecutivo, à Cáritas Portuguesa e à Associação Karingana Wa Karingana para recolher material escolar novo.
Trata-se de uma campanha que visa oferecer conjuntos escolares a crianças de famílias carenciadas da Diocese, no próximo início de ano letivo. Para tal, a ação vai decorrer no fim de semana de 3 e 4 de Setembro e a Cáritas aceita a participação de voluntários que queiram colaborar.
No ano passado, “participaram cerca de 65 voluntários, tendo sido angariadas mais de 20 mil unidades de material escolar, nos dois dias em que decorreu a campanha”, informa a instituição, acrescentando que “este ano queremos voltar proporcionar às nossas crianças um início de ano escolar mais feliz”.
Os interessados poderão contactar os telefones 961483691 e 244823692 ou o email social.caritas.leiria@gmail.com.

Daqui.

Troféu distingue melhores práticas de voluntariado

As candidaturas para o Troféu Português do Voluntariado já estão a decorrer. A iniciativa homenageia anualmente as boas práticas de voluntariado



As organizações promotoras de voluntariado podem candidatar os seus voluntários ao Troféu Português do Voluntariado até ao próximo dia 15 de outubro. O vencedor vai receber uma «peça de cristal» e um certificado. «A organização proponente receberá também um certificado», com o nome do projeto associado ao vencedor.

Troféu Português do Voluntariado será atribuído pela Confederação Portuguesa do Voluntariado (CPV), pela oitava vez, para «homenagear o trabalho dos voluntários e incentivar a prática do voluntariado».

A distinção é uma forma de «promover e valorizar» o voluntariado, «incentivar a defesa do ambiente e dos animais» e «divulgar boas práticas», indicam os promotores da iniciativa, em comunicado.

Daqui.

Novo grupo Ondjoyetu no Gungo


Há três anos que planeamos esta viagem. Para uns foi e será um reencontro de caras conhecidas. Para outros todo um mundo novo!
Para os primeiros, será uma tentativa de atenuar todas as saudades acumuladas ao longo destes anos e reviver todo o amor e amizade a que já estão habituados. Para os segundos, apesar de já terem ouvido vezes sem conta, nas palavras dos que já conheciam a terra, foi sentir pela primeira vez a verdadeira África.
Partimos no dia 2 de agosto para o Gungo. O nosso cavalinho e elefante levam as doações que se reuniram em Portugal. Graças à generosidade de todos levamos medicamentos, produtos diversos de farmácia, bens de primeira necessidade, e o amor de todos, que, assim, também estão em missão com todos nós. Os missionários estão preparados para avançar com formações na área da saúde, desenvolvimento pessoal e social de jovens e crianças e partilhar com o povo a palavra do Senhor. Daqui a uma semana teremos histórias e novidades para partilhar.
Estamos juntos...agora na linha da frente!
Daqui.

07/08/16

Papa agradece aos voluntários das JMJ

Francisco agradeceu especialmente os voluntários que "por mais de um ano trabalharam neste evento". 

Ler mais aqui e aqui.

13/07/16

VOLUNTARIADO: Cáritas precisa de monitores para Férias Balneares

COMO SER MONITOR NA COLÓNIA BALNEAR 





http://www.coloniacaritas.org/como-ser-monitor/

07/07/16

Médicos festejam aniversário com seminário

Os Médicos do Mundo assinalam o seu aniversário com o seminário «Emergência Humanitária e Desastres Naturais». O Enviado Especial do Banco Mundial para o Haiti, Alexandre Abrantes, é o orador

Ver mais aqui.

04/06/16

ATIVIDADE DE VERÃO – FÉRIAS SOLIDÁRIAS 2016

Porque há atividades que nunca custam “repetir”… de novo…





3 - 7 agosto 2016
> 17 anos | jovens . adultos

Para quê?
Cuidar o Encontro contigo, com outros, com a natureza,
com Deus em tempo de férias.

 Onde?
Acantonamento | Mosteiro de Arouca
Caminhadas | Passadiços do Paiva, Mizarela, Drave
Misericórdia | Lar e Cuidados Continuados
Patronato | Crianças e Jovens


outras ligações:

Mais informações e inscrições:
Cristina Nunes

968574005


22/05/16

Comunidade Vida e Paz - Trabalho Voluntário com Sem-Abrigo


A intervenção da Comunidade Vida e Paz só é possível graças ao trabalho de muitas pessoas que anónima e generosamente nos dão um pouco de si mesmos, todos os dias, nas mais diversas atividades. Conheça as diferentes formas de voluntariado.
Ser voluntário nas Equipas de Rua
De 15 em 15 dias, o voluntário faz a volta da noite, com o objetivo de escutar e motivar as pessoas sem-abrigo a mudar de vida.
Ser voluntário nas Equipas das Sandes
Prepara e acondiciona as ceias que são distribuídas todas as noites pelas Equipas de Rua às pessoas sem-abrigo.
Ser voluntário no Banco de Roupa
Faz a triagem dos donativos de roupa que chegam à Comunidade. Prepara os kits de roupa para as voltas da noite e os pedidos de roupa vindos dos Centros, EAD e do projeto de apoio às famílias.
Ser voluntário na Comunicação
Representa a Comunidade Vida e Paz nos eventos de angariação de fundos em que a instituição participa. Atendimento na loja ‘Montra Solidária’.
Ser voluntário no Espaço Aberto ao Diálogo, Comunidades Terapêuticas e Comunidades de Inserção
Nas várias estruturas da Comunidade existem diversas necessidades ao nível de voluntariado que podem ir desde a animação, à formação profissional etc.
Ser voluntário na Equipa para a Espiritualidade
Para que a Comunidade seja portadora de esperança e dignificação da pessoa humana através de um projeto integrador, dirigido à pessoa por inteiro e de forma universal, a ação do Apoio Espiritual, caminha para colaborar no cumprimento da missão da Comunidade Vida e Paz, cooperando no processo de transformação, transversal a todos os envolvidos nessa missão a partir do carisma fundacional
Ser voluntário com a sua Empresa
O voluntariado empresarial é uma excelente forma de criar espírito de equipa e entre-ajuda entre os colaboradores.

Seja nosso Voluntário!


CONTACTOS:
Natacha Santos – Gestão de Voluntariado
Daqui.

16/03/16

Entre a culpa e o perdão

Podem reparar-se os danos causados a uma vítima? Vítimas e agressores de crimes diferentes, juntam-se na mesma sala para tratar das marcas deixadas pelos crimes. Os diálogos restaurativos tentam beneficiar os indivíduos afectados por comportamento ofensivos. Trata-se de um projecto que está implementado em 7 países europeus e que pela primeira vez é aplicado em Portugal. No caso, o Estabelecimento Prisional do Linhó, em Sintra, serviu de lugar de encontro.

Ver reportagem aqui.

11/01/16

VOLUNTARIADO COM SEM-ABRIGO

Teresa Olazabal, Uma vida entregue


Como surgiu o seu desejo de ir ao encontro dos sem-abrigo, na noite do Porto? 
Um dia de inverno, há 20 anos, as temperaturas no Porto desceram até aos 2 graus negativos. Duas amigas e eu fomos à baixa com cobertores, ovos cozidos e chocolates, saber se era preciso ajuda. Quando vi um homem deitado no chão na rua, instintivamente ajoelhei-me junto dele e pela primeira vez percebi que era ao próprio Jesus que estava a atender. Nunca mais deixei de lá voltar.

A Teresa conseguiu reunir um grupo de amigos que lhe permitem levar por diante o trabalho com os sem-abrigo sem criar nenhuma “instituição”. É fácil, trabalhar assim, sem rede?
O AMOR não cabe em estatutos e normas. É gratuito, livre e espontâneo. Nunca seremos uma instituição, mas não é fácil trabalhar assim.

Um dos aspetos mais originais do seu trabalho com os sem-abrigo é cuidar tanto da dimensão espiritual quanto da material. Em cada encontro mensal com eles, há tempo para celebrar a fé, para o convívio, para a distribuição de bens materiais. De onde nasceu este modo diferente de estar com os sem-abrigo? 
O nosso grupo está sempre em processo de criação, crescimento e discernimento. Foi muito claro para nós que a principal fome desta «população» é Jesus. Um dia, em oração, conversei com Jesus sobre a maneira de saciar esta fome. Jesus foi muito claro na sua resposta: «Leva-me contigo». Atordoada e sem saber como, perguntei-Lhe onde, porque não tinha sítio. Jesus voltou a falar-me muito claramente: «Vou contigo onde eles estão». E o grupo esteve de acordo.

São conhecidas as suas celebrações de Natal com os sem-abrigo, que incluem sempre a celebração da Eucaristia. E também começam a ser conhecidos os «Retiros» espirituais para sem-abrigo, que organiza anualmente. Fale-nos do que acontece nestas ocasiões... 
A ideia da Missa de Natal apareceu como a continuação lógica da oração de rua. É o ponto alto dos nossos encontros, e a ternura de Deus que Se quer aproximar de cada um dos Amigos da Rua como há 2000 anos Se aproximou dos coxos, cegos, paralíticos e leprosos. É muito especial. Quanto aos «Retiros» espirituais, são uma graça que o Senhor, na sua imensa Misericórdia, nos quer dar – aos que os recebem e aos que os orientam; as vidas e as feridas dos corações brotam dolorosamente e Jesus consola, cura, toca. São momentos de uma imensa beleza.

A Teresa tem uma longa história de voluntariado. Onde começou a prestar este serviço? Recorda algum episódio ou pessoa que mais a tenha marcado? 
Os três sítios onde o Senhor me chamou a servi -Lo, foram os deficientes profundos, os doentes terminais oncológicos, e os sem-abrigo. Há muitos episódios marcantes na minha vida de voluntária, sendo que o principal foi o de ter sido possí- vel receber em casa um sem-abrigo em estado terminal para o atender, tratar e amar durante três meses e acompanhá-lo até à sua morte. Um grande presente do Céu.

A sua família acompanha-a e apoia-a neste serviço? 
É costume em casa não se falar dos deficientes e dos doentes terminais, apesar de um dos meus filhos me acompanhar há bastante tempo com os sem-abrigo.

Recentemente, viu-se inesperadamente atingida pela doença. Como integra uma realidade assim na sua vida de fé?
Várias doenças atingiram-me, e à minha família, nos últimos meses. Só em Deus e na Fé é possível com-viver com Paz e Alegria a realidade da doença, tendo como certo que Deus não manda o mal nem a doença, mas que Se interlaça nela para tirar o maior bem. Isto leva a que a doença passe a ser uma graça que agradeço ao Senhor todos os dias e todo o dia. Costumo fazê-lo recitando frases do Magnificat de Nossa Senhora.

Se quisesse resumir a sua vida cristã, que palavras escolheria? 
Entrega.

Daqui.

Fotografias:
1 - O Gregório que morreu em nossa casa, uns dias antes de morrer
2 - O Rui (deficiente) comigo
3 - Diante deste homem na rua ajoelhei-me
4 - O senhor António em Soutelo
5 - Uma deficiente de que cuidei

26/11/15

Voluntariado para ajudar os refugiados


Texto de Ban Ki-Moon, aqui ("Deem oportunidades aos refugiados para retribuírem").

23/11/15

BANCO ALIMENTAR - LEIRIA

Caro voluntário,

A próxima Campanha de recolha de alimentos do Banco Alimentar decorrerá no fim-de-semana de 28 e 29 de novembro de 2015. À semelhança do que tem acontecido nas Campanhas anteriores, solicitamos a todos os voluntários, que queiram participar no trabalho de armazém, que preencham os seus dados e o turno pretendido no seguinte formulário:


Basta clicar no link que está a azul, preencher os dados pessoais, selecionar o turno e enviar-nos o formulário carregando na tecla Submit (validar) no fim do formulário.

 Agradecemos resposta até dia 22 de novembro.

Obrigada pela vossa disponibilidade em mais uma campanha de recolha de alimentos do Banco Alimentar de Leiria-Fátima.

Com os melhores cumprimentos,

Sílvia Domingues/José Marques

02/11/15

Campanha do Banco Alimentar contra a Fome



Nos dias 28 e 29 de novembro (sábado e domingo), o Banco Alimentar Contra a Fome realiza a sua tradicional recolha de alimentos, com vista a auxiliar os mais necessitados. 

27/09/15

ADAV-Leiria precisa de voluntários


A ADAV-Leiria, instituição que ajuda mulheres grávidas, puérperas e suas famílias, precisa de voluntários.

Contactos:
adav.leiria@gmail.com
963 051 000

Para se fazer voluntário da ADAV-Leiria, preencha este questionário de candidatura.